Thumbs  up Que Mota Comprar? Como comprar Usado?

Para podermos ajudar-te na compra da tua primeira mota ou de outra mota, precisamos de esclarecer algumas questões.

Antes de colocar a pergunta “Que mota devo comprar?” deverás Copiar estas perguntas e Responder por baixo.

  • Que idade tens e que carta tens?
  • Que altura tens?
  • Que experiência tens, fora a da escola de condução?
  • Que tipo de motas gostas?
  • Irás andar com pendura? Com que frequência?
  • Precisarás de levar alguma carga? Com que frequência?
  • Andarás só com calor ou também com tempo menos bom e até com chuva?
  • Farás tiradas em nacionais, circulares, auto-estradas?
  • Aprecias explorar caminhos mais desconhecidos, como estradas municipais, estradas de terra?
  • Que orçamento tens, descontando já cerca de 300 a 500€ para o equipamento mínimo necessário?
  • Já tens alguns modelos definidos que gostes? Porquê esse/s modelos?
O amigo Yellow do Fórum Transalp juntou esta lista de dicas preciosas, ainda estive a acrescentar coisas:

1 – Escapes: As ponteiras de escape tendem a apodrecer por dentro (bastante comum), pelo que se abanares/deres uma pancada nos mesmos, não devem fazer qualquer barulho metálico no interior.

2 – Estado do kit de transmissão: Se os dentes da cremalheira estiverem tortos/desgastados ou a corrente estiver gripada (elos que já não voltam por si à horizontal /\__/\__) pede para fazer o desconto para o kit de transmissão.

3 – Cabeça do motor e outras juntas: Ver se não baba óleo (marcas escuras à volta das juntas) e se os parafusos não estão danificados. Se estiverem, significa ou que já foi muito aberto (o motor), ou que foi mal aberto (más ferramentas = mecânico sem qualidade)

4 – Estado dos discos de travão dianteiro e traseiro bem como pastilhas: O disco não deve estar muito comido (se passares o dedo, e se notares muita irregularidade na superfície) e verifica as pastilhas olhando de frente para a roda na zona das bombas de travão consegues ver as pastilhas e as duas camadas (1 para o ferodo e outra para o metal que segura o ferodo).

5 – Braço oscilante: Alguns braços oscilantes rasgam na zona do apoio do amortecedor traseiro. Verifica esse ponto.

6 – Amortecedor: Verifica que não chia quando fazes pressão na moto para baixo. Nas bainhas da frente ver se não há fuga de óleo dos retentores, passando o dedo nas bainhas.

7 – Caixas de direcção: As cidades portuguesas não são boas para estas peças mecânicas. à mão, empurra a moto e trava com a frente com violência, para verificar se há folga nas caixas.

8 – Pontos que denunciam se a moto já caiu, e a gravidade da queda: Contra-pesos do volante, espelhos e limitador da direcção: dependendo das raspadelas podem indicar uma queda simples com mota parada ou algo mais complicado.

9 – Colectores: Verificar se não há marcas de óleo queimado a jusante do mesmo e se não se encontram podres, quase a furar.

10 – Pousa-pés: demasiado novos indicia substituição recente (pode indiciar acidente recente). Uma raspadela pouco forte indica uma queda da mota quase parada.

11 – Ver se a pintura de um lado (ou de uma zona) está mais recente que do outro (pode indiciar queda com pintura recente e não uniforme)

12 – Dureza do assento uniforme (indica a intensidade da utilização da mota ou se foi substituído recentemente)

13 – Oxidação: dentro do depósito (junto à boca, dentro é mais complicado)

14 – Verificar se motor está frio: (sentir temperatura nas tampas do motor <- isto é importante quando se vão ver motos usadas na medida em que o dono pode ter aquecido o motor dando umas voltas para esconder barulhos a frio; convém sempre ser o comprador a ir ver a mota e não a mota ir ao encontro do comprador pois ai já vem com o motor quente)

15 – Saber quando mudou óleo e ver o nível (tentar perceber se consome muito óleo)

16 – Ligar motor e verificar: se arranca bem; se faz restolhar contínuo (corrente de distribuição); se tem barulhos metálicos (válvulas); se em acelerações rápidas deitar fumo azul ou o interior do escape estiver gorduroso indicia queima de óleo; relanti deve ser regular.

Fonte

UPDATE:
from Ribatejo (link)

Com 17 mil

tem que ter os discos de travão novos e sem cama
e devem estar proporcionais no pouco desgaste…

O kit de transmissão tem que ser de origem e deve estar a meio uso ou perto disso…
se o kit tiver no final da vida… ou foi muito mal tratada ou então os kms são falsos

Se foi pintada é porque algo aconteceu
não se pinta motas por andarmos pouco com elas…
se pintaram porque teve ao sol… então também teve à chuva e a parte eléctrica sofre bastante com isso… (ganha zebro nos contactos… e fica com pontos fracos na instalação em todo o lado)
andar à chuva não faz mal… mas parada é terrível

– se a mota tiver muito limpa é de desconfiar (pode estar com vazamentos e foi limpa momentos antes)

from Ice (link)

Assim à 1ª vista, também não acho muito normal pintar uma moto, para ficar mais bonita… e vendê-la logo de seguida

O que podes fazer para apurar o bom estado da moto, o mais básico:

– verifica o estado da suspenção dianteira (bainhas), com a moto parada força a mesma a trabalhar para ver se há barulhos/comportamentos estranhos.

– Tenta ver por debaixo das carenagens se não há “remendos”, como no radiador, por exemplo.

– Vê a parte de baixo da moto, assim como das ópticas.

– Procura fugas de oleo.

– O ideal é colocar a moto a trabalhar a frio, algo que não é de todo fácil…

– vê se os autocolantes estão simétricos, se estão os dois por debaixo/cima do verniz.

Advertisements